18 fevereiro, 2011

Novas tecnologias

Tenho andado homem de poucas palavras, não que não tenha maneira como as escrever, mas sim porque simplesmente não tenho tema para o fazer, ando a atravessar uma crise "existencial", com a certeza de que é apenas uma fase, vou concentrar-me neste texto o qual não tem fundamento e meta alguma, para alem de escrever palavras alinhadas seguindo o pensamento que me tem regido nestes dias.
As noticias não me trazem nada de novo e emocionante, o tempo é aquilo que se vê, e o facto de estar a menos de quatro horas do fim-de-semana perde o interesse depois de já ter escrito sobre isso mesmo anteriormente ao ultimo fim-de-semana. Sendo assim resta-me falar sobre... Pois parece que não tenho nada para falar. (um momento por favor)
Contei trinta e sete segundos, três páginas e quatro cliques até encontrar algo sobre o qual posso escrever.

Noticia "Aplicação para iPhone não substitui confissão feita na igreja"

Não sei se já escrevi aqui sobre a minha quase obsessão pela Apple e tudo aquilo que estes realizam, claro como designer nem poderia deixar de ser, no entanto não é isto que interessa mas sim o facto de possuir um Iphone, e propósito da noticia, não há como experimentar para poder falar.
Esta semana em jeito de brincadeira foi desafiado a obter para mim a dita aplicação, aquela que supostamente ajuda a unir os homens com a igreja católica, descrições a parte continuo, depois de adquirir a mesma não perdi para consultá-la não para usufruir daquilo para a qual foi concebida mas sim para ter argumentos sobre o tal assunto, se há coisa que gosto é de saber do que falo.
Pois bem, como católico praticante obrigado que foi até aos meus dezasseis anos (mais coisa menos coisa) e católico não praticante até agora por vontade própria, devo dizer que aquilo que lá vinha escrito não me trouxe nada de novo, apenas uma compilação daquilo que á muitos anos me falaram, no entanto é sempre coisa estranha olhar para uma quantidade de letras agrupadas com o intuito de dar indicações ao possuidor de tal magnificente aparelho electrónico. Depois de uma analise mais pormenorizada e no segmento de... (pausa para voltar á dita aplicação, a minha memoria já não é o que era)... "Passos para a confissão", seguido de "Exame" (de consciência diga-se), aparecem-me os dez mandamentos, os quais estão subdivididos em várias questões as quais deve, aquele que pretende usar tal aplicação correctamente, questionar-se a si próprio sobre as mesmas a fim de analisar os seus actos. Devo dizer que fiquei escandalizado com as barbaridades que lá aparecem, é verdade, eu pensei que já não seria possível a instituição chamada de "Igreja" conseguisse em mim tal efeito, mas sim, sempre a surpreender-me aqueles malucos. Poderia fazer uma pequena lista daquilo que lá aparece, mas tenho a certeza que seria deprimente para mim abrir todos os dez mandamentos e enumerar todas as questões, para alem de não vos trazer nada de novo a vós que me leis, no entanto farei se vocês assim acharem pertinente, caso contrario, devo dizer-vos que passei vários minutos de riso.

8 comentários:

  1. Eae!
    Adorei o blog
    to me infectando aqui. usauhs
    Tu és de Portugal?
    Beijos
    ;*

    from:oitonotedio.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Embora não estando particularmente interessada em confessar os meus pecados, devo dizer que um iPhone me dava muito jeito. Muito mesmo!

    ResponderEliminar