06 janeiro, 2011

Sortes

A sorte é algo que todos esperam, infelizmente a maioria dessas pessoas acha que a sorte lhe vai bater á porta.
Por vezes podemos achar que isso acontece, mas na realidade isso não é mais que o resultado de actos por nós realizados.
Não sou pessoa de acreditar em sorte, pelo menos no sentido que o grande bolo da pessoas acredita, mas sim acredito numa sorte fabricada, uma sorte que pode ser moldada ao meu gosto, uma sorte que mesmo antes de existir já está a ser tida em atenção por mim.
A sorte em que acredito é a sucessão de acontecimentos, acções, que eu efectuo e que mais tarda darão frutos, por vezes é difícil caracterizarmos esta sorte, muito por culpa da ideia generalizada que temos de sorte.
Não acredito em acasos portanto não acredito na sorte por si só, a sorte que a maioria das pessoas acredita é uma sorte ocasional, uma sorte que não é fabricada mas que acaba por acontecer, no entanto posso afirmar que as pessoas estão enganadas em relação a este tipo de sorte.
Na origem deste texto está uma frase muito utilizadas pelas pessoas em geral e pela minha pessoa em particular no ultimo dia, essa frase é muito comum para desculpar um tipo de actividade para a qual não estamos habilitados.
"Sorte ao amor, azar ao jogo" ou vice-versa, ontem em termo de brincadeira acabei por dizer algo deste género, no entanto não passou disso mesmo, uma brincadeira pois pessoa como eu não acredita nesse tipo de sorte, tudo é fabricável, tanto o jogo como o amor, e mais do que isso, tudo são duas temáticas que nada têm em comum.
Adenda1: Não é sorte é mesmo realidade.

2 comentários:

  1. Eu acredito que a sorte tem que ser trabalhada, temos que fazer por isso!

    ResponderEliminar
  2. Ora nem mais, tudo depende daquilo que fazemos

    ResponderEliminar